Objetivo Geral

Este projeto de pesquisa pretende investigar contradições e perspectivas emergentes em propostas e experiências de inclusão, interculturalidade e inovação pedagógica desenvolvidas nas instituições educacionais nacionais e internacionais e em seus processos de formação de educadores por meio de variadas metodologias e de subprojetos de pesquisa que serão desenvolvidos colaborativamente pelas instituições participantes, sendo respeitadas as especificidades de cada uma. 

Objetivos Específicos

NO SUL DA BAHIA 
1)Analisar o trabalho docente nos Complexos Integrados de Educação, escolas de referência para a educação inclusiva, identificando em que condições são realizados os processos educacionais e as Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica Página 6 práticas pedagógicas nestas instituições e seus efeitos sobre a formação de educadores nas licenciaturas interdisciplinares da UFSB. 
 
NO CEARÁ 
1) Realizar uma investigação colaborativa que permita identificar e analisar experiências formativas de professores em instituições de ensino superior no Estado do Ceara que apresentam elementos constitutivos da inovação pedagógica e suas potencialidades para a inclusão social e interculturalidade no ensino superior, iniciando pelo Curso de Magistério Indígena Tremembé Superior – MITS. 

2) Registrar e analisar as infâncias intergeracionais (passado e presente) Tremembé dos professores formados pelo MITS, considerando a família e a escola como contextos espaçotemporais, incidindo sobre os conceitos de inclusão e interculturalidade. 

3) Realizar uma investigação-intervenção nas Universidades Cearenses Federal (UFC) e Estadual do Vale do Acaraú (UVA) e Universidade Federal do Piauí (UFPI) sobre o desenvolvimento da noção de interculturalidade utilizada nas licenciaturas interculturais como estratégia de fortalecimento de processos identitários étnicos/de subjetivação e efetiva inclusão dos povos indígenas do Nordeste do Brasil no ensino superior, tendo como foco a trajetória dos Tremembé de Almofala/Ceará e a organização e execução do seu Curso de Magistério Indígena Tremembé Superior – MITS. 

NO TERRITÓRIO ETNOEDUCACIONAL POTIRÕ, NO CEARÁ E PIAUÍ 

1)Realizar pesquisa colaborativa com professores e alunos das escolas Tremembé de Almofala sobre o lugar do Torém1 na Educação Diferenciada Tremembé, contribuindo para a produção de novos conteúdos teórico-metodológicos e práticos a serem agregados aos processos de formação dos professores Tremembé, especialmente ao projeto pedagógico do Curso de Magistério Indígena Tremembé Superior – MITS, Licenciatura Intercultural. 

EM MINAS GERAIS 
1)Realizar uma investigação sobre a formação dos alunos-professores na perspectiva da inclusão e da interculturalidade. 
 

NO PIAUÍ 

1)Realizar investigação colaborativa que propicie constituir e dar suporte a uma linha de pesquisa específica sobre música e interculturalidade, a ser proposta no Curso de Mestrado Profissional em Música da Universidade Federal do Piauí, em fase de construção do projeto pedagógico de curso, a partir das experiências de educadores musicais que integram o Fórum Latino-Americano de Educação Musical – FLADEM no que concerne ao estudo de expressões musicais de povos originários. 

NO PIAUÍ/CEARÁ 

1)Realizar pesquisa colaborativa com professores e alunos das escolas indígenas Tremembé de Almofala para o fortalecimento, desenvolvimento e ressignificação do Torém no contexto da educação diferenciada Tremembé, objetivando, no âmbito da inovação pedagógica, a produção de materiais e instrumentos didáticos para os cursos de formação de professores, tendo a educação musical como base propositiva para ações de sensibilização intercultural. 1 Torém, ritual que envolve canto e dança onde o povo se reúne para agradecer, celebrar ou pedir. VALLE (2005) considera o Torém tradição, folclore e ritual. Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica 

NO RIO DE JANEIRO

1) Investigar, com base na perspectiva Omnilética, temas que visam debater e produzir conhecimento a respeito dos direitos humanos e promover justiça social no campo educacional, tais como: formação de educadores, sexualidades e identidades, educação especial e acessibilidade, refugiados, movimentos migratórios, lúdico e criatividade, presentes nas instituições educacionais dos diferentes níveis e modalidades de ensino, por meio de estudos colaborativos nacionais e/ou internacionais e/ou por meio de estudos específicos.

2) Continuar a investigação etnográfico-digital iniciada no projeto OIIIIPe 2016-2019 sobre a formação de educadores das instituições educacionais, levantando as concepções acerca dos conceitos de inclusão e interculturalidade e inovação pedagógica. 

3) Mapear propostas de ação e experiências acerca destes conceitos em relação à formação de educadores.

4) Identificar e analisar os processos complexos e dialéticos das relações culturais, políticas e práticas que permeiam o cotidiano das instituições participantes. 

EM SÃO PAULO 

1)Realizar uma investigação com os graduandos das licenciaturas sobre as atitudes com relação à inclusão e verificar se estas se modificam do primeiro para o quarto ano do curso. 

 

EM SANTA CATARINA 

1)Realizar uma investigação etnográfico-digital sobre a formação de educadores na UFSC, no IFC e na FMP, levantando as concepções acerca dos conceitos de inclusão e interculturalidade, mapeando propostas de ação e experiências inovadoras acerca destes conceitos em relação à formação docente e identificando dispositivos colonizadores das relações culturais, sexistas, políticas e práticas que permeiam o cotidiano de inclusão e interculturalidade nas referidas instituições.

 
NAS UNIVERSIDADES ESTRANGEIRAS
 

EM CABO VERDE (CABO VERDE) 

1)Realizar uma pesquisa que permita (i) identificar até que ponto elementos de interculturalidade e inclusão se manifestam nos currículos e nas práticas de formação de educadores nas Instituições de Ensino Superior públicas cabo-verdianas; (ii) analisar a práxis de formação de educadores das IES públicas caboverdianas numa perspectiva endógena e descolonizadora. 

EM TALCA (CHILE) 
 
1)Realizar uma pesquisa com estudantes de distintas pedagogias e acadêmicos responsáveis da formação de professores da Universidade Católica del Maule – Chile, com o propósito de conhecer suas ideias e práticas de aula em relação à interculturalidade, inovação e inclusão educativa dos distintos grupos que são objeto de discriminação ou marginalizados dos sistemas escolares formais: indígenas, migrantes, minorias étnicas, estudantes com distintas capacidades físicas e cognitivas, dissidentes sexuais e/ou genéricos, entre outros. 
 
EM CÓRDOBA (ESPANHA) 
 
1)Investigar na Faculdade de Ciências da Educação da Universidade de Córdoba: o nível de formação do corpo docente universitário em relação à inclusão educativa (culturas, políticas e práticas) e as atitudes referentes à diversidade cultural no alunado da Faculdade de Ciências da Educação, os futuros professores. 
 
EM LISBOA (PORTUGAL) 
 
1)Realizar uma investigação na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa sobre a formação de educadores nos domínios da inclusão e da interculturalidade. Mais concretamente, pretende-se: 1) identificar as concepções e práticas do corpo docente da Instituição nestes domínios; 2) conhecer as representações que os alunos de Mestrados em Ensino, futuros professores, têm acerca da diversidade cultural e inclusão.